INGRESSO SOLAR EM LIBRA 2018

O ECLIPSE LUNAR E AS PREVISÕES PARA O BRASIL
26 de julho de 2018
ESTUDO: O MAPA DE J.W. GACY, O “PALHAÇO ASSASSINO”
14 de outubro de 2018
Mais artigos

INGRESSO SOLAR EM LIBRA 2018

INGRESSO DO SOL EM LIBRA

Como muitos de vocês sabem, a “revolução solar” do mundo, o equivalente ao mapa de aniversário, acontece toda vez que o Sol ingressa no signo de Áries. Quando isto acontece, um dos doze signos do zodíaco está se elevando no horizonte de algum país, o que marca o Ascendente desta espécie de Revolução Solar nacional. Ocorre que, se em tal ocasião o signo Ascendente for cardinal, a Astrologia Árabe recomenda que outra carta seja aberta quando o Sol, no mesmo ano, ingressar em Libra.

Foi este o caso. Em Março de 2018, o Sol ingressou em Áries no instante em que o signo de Câncer (cardinal) se elevava no céu do Brasil, colocando dois maléficos dignificados (Marte e Saturno em Capricórnio) num ângulo do mapa (a casa 7), que para Dorotheus é uma das piores configurações possíveis. Bem, até então tivemos um ano cheio de acontecimentos turbulentos e trágicos, com “direito” à violência política, incêndio em museu e prédio, intervenção, paralisação de caminhoneiros e assim por diante.

Pois bem, o Sol ingressou em Libra e um novo mapa, como é recomendado, é aberto para delinear os acontecimentos até o próximo Ingresso Solar em Áries. Deve-se também considerar o último eclipse importante para o Brasil, cujo texto disponibilizei aqui ( https://goo.gl/URt39D ).

O Ascendente (povo) do mapa do Ingresso Solar em Libra é Gêmeos, sendo portanto regido por Mercúrio que está combusto pelo Sol no próprio signo de Libra. A configuração indica, para variar, a perpetuação da cegueira de boa parte da população, afinal quando um planeta está muito próximo ao Sol – o astro obviamente mais brilhante do nosso sistema -, sua visão fica ofuscada pelo excesso de brilho do “Rei”. Neste mapa, o Sol rege a casa 3, os meios de comunicação, que no geral são os principais responsáveis por essa falta de discernimento do povo.

Ambos se encontram no quinto signo a partir do Ascendente, uma casa associada a diversões e rendimentos da terra e dos imóveis. Faz um tempo que venho pensando em algum tipo de crise ou algo neste sentido no setor imobiliário (não sou economista, então posso estar enganado). A Vênus, regente de Libra (e da conjunção Sol e Mercúrio), está debilitada em Escorpião e conjunta a Júpiter na casa 6 do Ingresso. Ela está lenta e em breve entra em movimento retrógrado.

Ambos os benéficos encontram-se enfraquecidos (a casa 6 é cadente, portanto fraca), mas os maléficos não estão lá no melhor dos mundos. Marte está cadente e conjunto ao Nodo Sul, um ponto restritivo, e Saturno está domiciliado na 8, uma casa de força média associada à morte e aos bens alheios. Isto pode indicar uma maior redução do investimento externo no país e morte de pessoas importantes, que impactam de alguma forma o imaginário social (Saturno forma quadratura com Mercúrio e o Sol, este sendo um astro relacionado ao poder e à fama).

Segundo a astróloga Clélia Romano, da página Astrologia Clássica, a Lua em Peixes no Meio do Céu indica grande popularidade para o presidente vencedor, sendo possível também uma mulher (ou alguém que tenha uma mulher ao lado) por conta da Lua e de Peixes carregarem a polaridade feminina.

Bom, esta é uma breve delineação. Vamos aguardar com esperanças que possamos extrair o melhor desta carta. Com certeza mudanças significativas estão por vir porque o grau do Ascendente está super conjunto à Lua e Júpiter do mapa da Independência do Brasil.

Guilherme de Carli