INGRESSO SOLAR EM ÁRIES DE 2020

Urano, Netuno e Plutão: incorporando os astros invisíveis na arte das luzes
12 de novembro de 2019
Mais artigos

INGRESSO SOLAR EM ÁRIES DE 2020

O ano novo astrológico compõe ao lado dos dias de eclipse e lunação o calendário de datas importantes para o astrólogo interessado nas questões mundanas, isto é, das ocorrências sociais, políticas, ambientais e econômicas. É a partir do momento em que o Sol ingressa no signo de Áries que a carta base de previsões para cada país é criada, servindo como referência para o período de um ano, embora a depender do Ascendente seja necessário criar mapas complementares em cada época.
Para o Brasil, a geolocalização referencial é disputada entre São Paulo, onde ocorreu a independência, e Brasília, a atual capital. Seja como for, neste ano de 2020 o Ascendente para ambas as cidades se dá na segunda face (decanato tradicional) de Capricórnio, pedaço regido por Marte. Os últimos anos têm apresentado uma série de conflitos, incertezas e reviravoltas, e desta vez não será diferente. De início, chama a atenção os três planetas superiores – Marte, Júpiter e Saturno – fortes no primeiro ângulo do mapa, associado ao povo e às disposições gerais do país. Os maléficos estão dignos (Marte exaltado e Saturno domiciliado), enquanto o benéfico se encontra debilitado (Júpiter em queda). Este é o primeiro testemunho de dificuldades, e que não se demoram a apresentar dado à modalidade cardinal do signo de Capricórnio. Quando o Ascendente do ISA (Ingresso Solar em Áries) pertence a essa modalidade, devemos abrir uma nova carta complementar sempre que o Sol ingressar em outros signos cardinais (Câncer, Libra e Capricórnio).

Mapa do ISA gerado no astro.com


Para nós, o ano novo astrológico será celebrado pela noite, dando vantagem a Marte, Vênus e Lua. Saturno pela noite é mais maléfico, e assim como 2019 ele novamente se mostra como regente do ano para o Brasil, indicando austeridade, fome, punitivismo, doenças e desafetação, muito embora seja mais desejável que ele esteja digno, indicando ao menos uma busca do povo por maior solidez e segurança. Dessa forma, temos uma maior participação popular à caminho, com força para alternar os rumos da política. Tratando-se de uma configuração que envolve maléficos, é de se esperar dificuldades e lutas no processo, mas também vitórias. A conjunção de Marte com Júpiter mostra ações convictas, ou seja, com intenso respaldo ideológico ou religioso, porém creio haver destaque para filosofias mais materialistas em razão do signo de Capricórnio. A religião seguirá interessada a participar da política e pode ocupar mais as ruas: Mercúrio rege a casa 9 e está em Peixes, portanto exaltando a Vênus, regente da 10 (poder). A casa 3 é cadente (fraca), mas Mercúrio está beneficiado com o Lote da Fortuna.  


Saturno é o dispositor da Lua em Aquário, que mingua na casa 2 do ISA 2020: sinal de que as flutuações econômicas tentarão ser controladas pelo Estado (Saturno rege Libra, a casa 10, por exaltação). A Lua também cumpre o papel de nações estrangeiras, visto que é regente da 7, e estando sob o poder de um maléfico em sua antítese (Capricórnio é exílio lunar), há um interesse extra em nossos recursos e novos acordos internacionais serão formados, ainda mais numa fase global de mudança cíclica (conforme escrevi aqui: encurtador.com.br/msGKZ ).


Há de se observar que Marte rege a casa 11 (chamada Bom Espírito) e está com o benéfico maior, Júpiter, no Ascendente, o que soa como um sinal de alguma sorte e de grande importância do Poder Legislativo nos meses que se seguem. Júpiter, claro, não tem como oferecer o melhor de si recebendo a secura marcial num signo seco como Capricórnio. Por um lado, isso é um endurecimento da justiça, escassez de chuvas e falta de misericórdia. Júpiter rege a 3 e a 12, e sua conjunção com Marte causa protestos, saqueamentos e rebeliões.


Vejamos a produção agropecuária:
O Lote do Trigo está a 10º de Escorpião: boa produção, mas aumento do preço do trigo (e consequentemente, dos pães e derivados);
O Lote da Carne e do Leite está a 27º de Sagitário: boa produção e baixa no preço;
O Lote do Milho está a 27º de Capricórnio: aumento do preço do milho;
O Lote das Leguminosas está a 14º de Escorpião: boa produção, com aumento de preços;
O Lote do Arroz está a 11 de Touro: boa produção, aumento dos preços.

É de se esperar que com o aumento da produção, o valor do produto abaixe, mas fiquei pensando que numa suposta necessidade mundial “extra” há grande interesse em exportar (se algum economista estiver me lendo, pode me corrigir). 


Entre o fim de Junho e Setembro, haverá conflitos relacionados a território. Observemos o Sol regendo a 8 brilhando na casa 4 (por signos inteiros) do ISA, embora enfraquecido por estar cadente por quadrantes. O Sol é também um dos significadores de presidente junto com o regente do Meio do Céu, e desta relação vamos encontrar altos e baixos. Como dito, o Sol está angular por signos inteiros, mas enfraquecido por quadrantes, enquanto a Vênus (regente do MC) está domiciliada e em júbilo, mas no oitavo signo a partir da 10 (derivação). Guido Bonatti (astrólogo do século XIII) diz que tal condição promove risco ao governante por relacionar um significador ao oitavo signo, o que vemos duplamente aqui (Sol + regência da casa 8 e Vênus + regente do MC e oitavo signo a partir do MC). Contudo estamos falando de astros dignos, logo de resistência meio às turbulências (pelo menos até final de setembro de 2020). 


O Meio do Céu está conjunto à estrela fixa Vindemiatrix (a “fazedora de viúvos”), que costuma ser benéfica para o setor da construção civil, da arquitetura e dos negócios. Marte, inclusive, é o construtor da Astrologia, e sua ascensão vai dar um “boost” pra área. A Vindemiatrix será ruim para a primeira-dama.


Enfim, temos mais um ano complicado e marcado pela violência, mas não vamos esquecer que estamos encerrando um ciclo mundial de 240 anos, e todo fim de ciclo é, por natureza, marcado por instabilidades.


Guilherme de Carli