ECLIPSE LUNAR PARCIAL EM CAPRICÓRNIO

INGRESSO SOLAR EM CÂNCER E ECLIPSE SOLAR
21 de junho de 2019
AS GRANDES CONJUNÇÕES
3 de outubro de 2019
Mais artigos

ECLIPSE LUNAR PARCIAL EM CAPRICÓRNIO

E lá vamos nós de novo falar de eclipse. Após o eclipse solar parcial do dia 2 de Julho, de considerável relevância devido a sua sobreposição ao MC do mapa do Ingresso Solar e à oposição ao Sol do mapa da posse presidencial, temos agora, no dia 16 de Julho, o eclipse parcial da Lua, visível em grande parte do mundo, mas que será menos relevante para nós aqui no Brasil. Ainda assim, por se tratar de um eclipse, o evento é mais importante do que uma Lua Cheia qualquer e suas representações se estendem por alguns meses, valendo a pena sua análise com os critérios levantados pela literatura clássica: Ptolomeu, William Lilly e outros. Nesta terça-feira, às 18:38, é a vez da Lua ser engolida pela sombra eclíptica, atingindo a oposição perfeita ao Sol quando ela estiver a 24º de Capricórnio. Aquário estará se elevando no horizonte do Brasil, colocando a Lua na décima segunda casa, a das prisões, conspirações, tramoias e malignidades. O hemisfério do mapa onde ocupa a Lua faz do Eclipse um pouco mais relevante, ainda que parcial. Mercúrio e Saturno dominam o Eclipse: o primeiro em movimento retrógrado em Leão, prestes a voltar para Câncer, o segundo domiciliado e em júbilo na 12 conjunto ao Nodo Sul.

O eclipse se sobrepõe ao Mercúrio do mapa do Ingresso Solar em Câncer, afetando diretamente as comunicações, informações e mensagens ligadas ao governo, visto que Mercúrio estava, naquela carta, na casa 10. Já no mapa do eclipse dessa terça temos dois testemunhos de prejuízo ao judiciário e figuras ligadas ao meio: a dodecatemoria da Lua cai na casa 9 (juízes, leis) e há uma oposição perfeita entre o regente da 9 com Saturno, ambos no eixo dos nodos lunares. Parece haver um dano considerável e mais decisivo no que tange à disputa entre jornalistas e juízes e procuradores. A casa 9 também versa sobre as universidades, e este aspecto não é nada amigável.

Marte na 7 liga o governo (MC) a questões de alianças. Pode haver algo conflituoso relacionado à Primeira Dama. Há busca de ajuda externa, mas o retorno não é o esperado, visto que o regente da casa 7 está na queda do regente da casa 10.

No mais, Saturno com o Nodo Sul volta a intensificar o frio e há alerta para embarcações. Vênus rege a 4 e sua oposição ao maléfico coloca coisas antigas e terras em cheque. É necessário também cuidar da saúde pública, especialmente no que se refere à alimentação.

Estas são as minhas considerações.

Guilherme de Carli