ANÁLISE ASTROLÓGICA: A VIDA DE KATE, ENTRE A ARTE E A DISTROFIA MUSCULAR

As Bruxas e a Astrologia
31 de outubro de 2018
Júpiter em Sagitário
8 de novembro de 2018
Mais artigos

ANÁLISE ASTROLÓGICA: A VIDA DE KATE, ENTRE A ARTE E A DISTROFIA MUSCULAR

A vida humana é um universo de possibilidades, e a capacidade que reside em cada um de nós é infinita. Hoje vou apresentar a vocês o mapa de Kate Borodulkina, uma garota que desde cedo demonstrou grande percepção artística e não deixou de expressar seu talento com o pincel mesmo com suas dificuldades motoras oriundas de uma distrofia muscular, com a qual convive desde seus três meses de vida. Devido a esta doença, Kate não consegue andar, mover livremente os dedos ou esticar os braços, seus movimentos são bastante limitados, mas a vontade de pintar é ainda maior.

Pintura de Kate Borodulkina


(Tive um trabalho de detetive para descobrir sua certidão de nascimento, mas consegui acessar os arquivos do hospital russo onde Kate nasceu e teve seus primeiros cuidados. O mapa então foi calculado para o dia 28 de Agosto de 2006 às 5:10 da manhã em Moscou, Rússia)

O Ascendente em Leão inicia a carta, mostrando motivação para liberdade de expressão e ação no mundo. Kate é, no contexto de sua carta, representada pelo próprio Sol, que peregrina pelo signo de Virgem na casa 2. A casa 2, na tradição astrológica, ora é vista como neutra ora como maléfica, por não aspectar o Ascendente. Mas se trata de uma casa sucedente em relação ao Ascendente, ou seja, ela sustenta o corpo físico (por isso é a casa da substância, das roupas, do dinheiro, da alimentação). Assim, Kate tem o próprio regente do Ascendente sustentando seu corpo, uma vez que a qualidade de sua vida depende de uma série de aparelhos que a mantém firme e resistente.

O Sol está sob o poder de Mercúrio, que se encontra exaltado e domiciliado no signo de Virgem, deixando o regente do Ascendente muito bem amparado. Marte também integra a configuração conjunto ao Nodo Sul (ponto restritivo) e oposto à estrela fixa Markab, da constelação de Pegasus. Segundo a astróloga Elsbeth Ebertin, a relação entre Marte (que rege os músculos) e Markab (associado a honras, mas também a punhaladas e fogo) pode indicar forte inflamação muscular. Kate, na verdade, possui distrofia muscular, mas é interessante perceber a semelhança simbólica com a descrição anterior.

Saturno, que rege a casa 6 (doenças), encontra-se fora de seita [o mapa é noturno,e Saturno é um planeta do dia] e exilado no Ascendente. Ele é exaltado pela Lua em Libra, regente do Lote das Doenças (Asc + Saturno – Marte para mapas noturnos) e do Lote da Fortuna localizados em Câncer.

O grau do Ascendente está oposto pela estrela fixa Nashira, capaz de transformar o mal em bem. A Vênus, participando da primeira casa, confere à Kate sensibilidade para a arte, principalmente ao receber a luz da Lua crescente em Libra no seu júbilo, a casa 3.

A determinação e benevolência dos pais de Kate foram fundamentais para sua sobrevivência e desenvolvimento. Ainda que a casa 4 seja regida por Marte, que carrega certas complicações, Júpiter em Escorpião peregrina por lá em sextil com o Sol. De fato, a família toda passou por imensas transformações, tanto na perspectiva de vida, quanto na própria configuração da casa, que precisou ser adaptada com tubulações de ar e outros aparelhos para a comodidade de Kate. Júpiter rege a casa 12 por exaltação (pois se exalta em Câncer) e encontra-se na 4, praticamente transformando o lar numa clínica.

Os governantes da mente devem lidar com algumas complicações acidentais: Mercúrio está exaltado e domiciliado, mas combusto, enquanto a Lua está em júbilo e crescente na sua seita, mas na via combusta e fora de curso. Ainda assim, Vênus ajuda na dominância da mente, por ser o último astro tocado pela lua. Como ela mesma diz: “Eu desenho, logo vivo” (Я рисую, а значит живу).

Guilherme de Carli

Facebook de Kate: https://www.facebook.com/ekaterinapainter/

Mais fotos de Kate: